O candidato da extrema-direita à presidência do Brasil Jair Bolsonaro foi submetido a uma nova intervenção cirúrgica, seis dias depois de ter sido apunhalado no abdómen, anunciou esta quinta-feira o hospital onde está internado.

Uma ressonância magnética "mostrou uma aderência que está a obstruir o intestino delgado" e que necessita de uma "intervenção cirúrgica", explicou o hospital israelita Albert-Einstein.

De acordo com a imprensa brasileira, que cita os médicos do hospital, a operação foi bem sucedida.

O candidato do Partido Social Liberal (PSL), atingido na quinta-feira passada por uma facada durante um ato de campanha em Minas Gerais, lidera a corrida eleitoral de outubro, com 22% das intenções de voto, na primeira sondagem feita após a recusa da candidatura liderada pelo ex-presidente brasileiro Luís Inácio Lula da Silva do Partido dos Trabalhadores.

Bolsonaro, de 63 anos, tem defendido os valores tradicionais da família cristã, o porte de armas e 'prega' que o combate à violência no Brasil, país que atingiu a marca de 63.800 homicídios em 2017, deve ser feito de forma violenta pelas autoridades.

A polícia brasileira deteve o autor confesso do ataque, que disse ter agido “sob o comando de Deus" e atribuiu o crime às suas diferenças políticas e religiosas com a extrema-direita.