A Presidente do Brasil, Dilma Rousseff, fez esta noite escala no Porto, antes de partir, na quarta-feira, para Ufa, na Rússia, onde participará na reunião da cúpula dos BRICS - grupo Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul.

A informação consta da agenda da Presidente do Brasil, disponível no site da Presidência da República brasileira.

A passagem da chefe de Estado brasileira por Portugal - onde pernoita esta terça-feira - é idêntica àquela que em março de 2012 fez no Aeroporto Sá Carneiro, antes de seguir para a Alemanha, e não constava da agenda oficial da Presidente.

Também em janeiro de 2014, Dilma Rousseff passou um fim de semana em Lisboa, tendo na altura os jornais brasileiros justificado essa estadia com uma paragem técnica entre Davos e Cuba.

Os líderes dos BRICS (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) vão analisar a crise da Grécia, a situação na Ucrânia e a ameaça do grupo Estado Islâmico na cimeira desta semana, anunciou o Kremlin.

"Durante um almoço de trabalho fechado, os líderes tratarão de toda a atualidade da agenda internacional, incluindo a Ucrânia, Grécia e a ameaça terrorista por parte do Estado Islâmico", disse, na quinta-feira, o assessor do Presidente russo aos jornalistas.

Contudo, o tema central do encontro que reúne os líderes dos BRICS, na quarta e quinta-feira, será "a situação económica e o mundo", bem como a cooperação económica entre estes países no seio do G20.

A intenção da Rússia, que acolhe este ano a 15.ª cimeira dos BRICS, é impulsionar a dimensão política deste fórum que nasceu com uma vocação económica, e aumentar a cooperação entre estes países para potenciar a competitividade.

A Declaração de Ufa, que será assinada durante a reunião, vai sublinhar a valorização comum de diversos assuntos da atualidade internacional, nas vertentes política e económica, concluiu o assessor, sem dar mais pormenores.