Dilma Rousseff vai continuar a receber o salário integral, no valor de 27.841 reais, pouco mais de sete mil euros, durante o período em que estiver afastada da presidência brasileira. Também vai poder manter o uso do avião particular, carro oficial, assistência de saúde, gabinete e segurança pessoais e morar no Palácio da Alvorada, a residência oficial dos presidentes da República no Brasil.

A continuidade dos benefícios foi anunciada pelo presidente do Senado brasileiro, Renan Calheiros, esta quinta-feira, logo depois da divulgação do resultado da votação que aprovou o processo de destituição de Dilma.

A Presidente do Brasil poderá ficar afastada do cargo por até 180 dias, período máximo permitido para que o processo de destituição seja julgado pelo Supremo Tribunal Federal do Brasil.

Dilma Roussef já reagiu entretanto à votação do Senado e classificou processo de destituição de "verdadeiro golpe"