O projeto “Humans of New York” deixou a Grande Maçã e partiu para a Europa, em busca de rostos de refugiados sírios, que deixam a guerra para trás em busca da paz prometida no Velho Continente. O fotógrafo Brandon Stanton, o homem por detrás do projeto que tem mostrado ao mundo rostos de gente comum das ruas de Nova Iorque, encetou uma viagem de pelo menos 10 dias pela Europa, em busca de histórias de refugiados.
 

For the next several days, I’m going to be sharing stories from refugees who are currently making their way across...

Posted by Humans of New York on  Sexta-feira, 25 de Setembro de 2015
 
“Juntos, estes migrantes são parte de um dos maiores movimentos populacionais da história moderna. Mas as suas histórias são compostas de tragédias únicas e singulares”, escreveu Brandon Stanton, na última sexta-feira.
 
A primeira história contada pelo projeto “Humans of New York” é a de Muhammed, o jovem que fugiu da Síria, rumo à Áustria, e que agora serve de tradutor a Stanton durante a viagem pela europa.  
 
 

I want to begin this refugee series with a post from the summer of 2014. This is Muhammad, who I first met last year in...

Posted by Humans of New York on  Sábado, 26 de Setembro de 2015
 

“Before leaving for Europe, I went back to Syria to see my family once more. I slept in my uncle’s barn the entire time...

Posted by Humans of New York on  Sábado, 26 de Setembro de 2015
 
Brandon Stanton dá voz a Muhammed em vários posts, até ao final feliz da autorização de residência na Áustria.
 
 

“For two weeks my tears didn’t stop. Nothing made sense. Why did these things happen to my family? We did everything...

Posted by Humans of New York on  Sábado, 26 de Setembro de 2015
 

“The island we landed on was called Samothrace. We were so thankful to be there. We thought we’d reached safety. We...

Posted by Humans of New York on  Domingo, 27 de Setembro de 2015
 

“After one month, I arrived in Austria. The first day I was there, I walked into a bakery and met a man named Fritz...

Posted by Humans of New York on  Domingo, 27 de Setembro de 2015


Outra das histórias contadas é a de uma mulher sem nome, mas com muitas lágrimas para chorar. Vendeu tudo o que tinha e trabalhou 15 horas por dia, todos os dias, para pagar a viagem. Quando viu o barco em que a queriam meter, a ela e ao marido, quis recuar, mas disseram-lhe que não ia reaver o dinheiro. Avançou. O barco acabou por naufragar. Ela sobreviveu, mas perdeu o marido no mar.
 
 

“My husband and I sold everything we had to afford the journey. We worked 15 hours a day in Turkey until we had enough...

Posted by Humans of New York on  Segunda-feira, 28 de Setembro de 2015


Já online, está também a história de uma menina sem infância, que pediu para morrer no lugar da mãe, e do homem que lhe estendeu a mão.
 
 

“I wish I could have done more for her. Her life has been nothing but struggle. She hasn’t known many happy moments. ...

Posted by Humans of New York on  Segunda-feira, 28 de Setembro de 2015


O projeto “Humans of New York”, do fotógrafo Brandon Stanton, mostra rostos de gente comum com histórias comuns, que são, no fundo, as histórias de cada um de nós. A iniciativa teve tal sucesso, que já foi replicada em várias cidades do mundo. Em Portugal, há já o projeto “Humans of Aveiro”.