“Quando a polícia cercou a casa, ouviu-se uma explosão. As autoridades encontraram depois o cadáver de um homem que se tinha suicidado dentro da habitação”, contou um dos agentes à AFP.



“Disparar contra um militar é disparar contra o Estado”, afirmou o primeiro-ministro bósnio, Denis Zvizdic, que prometeu “castigar” os responsáveis, mas que não quis comentar se o atacante era membro de um grupo jihadista.


AP