Um forte bombardeamento de zonas controladas por rebeldes, na zona Este de Alepo, na Síria, fez pelo menos 70 mortos e destruiu pelo menos 40 edifícios. Os números são avançados pela Reuters, que cita o responsável pela proteção civil daquela cidade síria.

Ao todo, desde a manhã desta sexta-feira, os aviões deixaram cair sobre Alepo mais de 60 bombas, adianta a CNN, que cita o Aleppo Media Center (AMC), um grupo de media alinhado com a oposição ao regime.

É o segundo dia de intensos bombardeamentos na região, depois de o Exército sírio ter anunciado uma ofensiva para retomar o controlo daquela que já foi a maior cidade da síria, antes da guerra. Os ataques aéreos estão, por isso, a ser encarados como um prelúdio de uma intensa e ampla ofensiva terrestre.

De acordo com a CNN, mais de 50 pessoas, incluindo muitas crianças, ainda estarão presas nos escombros de muitos dos prédios que desabaram, em vários pontos de alepo.

As equipas de socorro não conseguem retirá-los, por causa dos constantes bombardeamentos sobre a cidade”, sublinha Mujahed Abu Aljood, um ativista sírio citado pelo AMC.

Os ataques acontecem também numa altura em que responsáveis russos (país aliado de Assad) e norte-americanos se devem encontrar em Nova Iorque para discutir o restabelecimento de um cessar-fogo, depois de o último ter sido interrompido na segunda-feira.