Um jovem de 18 anos foi detido, este sábado, por suspeitas de ligação ao atentado à bomba no metro de Londres, na passada sexta-feira. As autoridades britânicas dizem que detenção "é significante" e que a investigação vai continuar, avança a agência Reuters.

A detenção aconteceu em Dover, que fica a cerca de 130 quilómetros a sul de Londres.

Fizemos uma detenção significante no decorrer da nossa investigação, esta manhã", afirmou Neil Basu, da Unidade de Contraterrorismo, numa declaração.

"Apesar de estarmos satisfeitos com este progresso, a investigação prossegue e o nível de ameaça contínua crítico", acrescentou o mesmo responsável.

Recorde-se que sexta-feira a explosão de uma bomba no metro de Londres provocou, pelo menos, 29 feridos. O Estado Islâmico reivindicou a explosão e a primeira-ministra britânica, Theresa May, anunciou que o nível de alerta de terrorismo passou de grave para crítico.

Isso quer dizer que as autoridades acreditam que um outro atentado possa estar iminente. O nível crítico é pior numa escala de cinco. O anterior significava que um ataque seria altamente provável. 

Theresa May avisou ainda que os britânicos verão um reforço de polícias armados nas ruas nos próximos tempos. 

Entretanto, a estação de metro de Parsons Green, no sudoeste de Londres, foi reaberta hoje depois da explosão de sexta-feira, informou a Transport for London (TfL), operadora da rede de transportes.

Já depois da detenção do jovem de 18 anos, a polícia britânica realizou buscas num bairro residencial de Surrey. Por precaução as autoridades determinaram que os moradores da zona fossem retirados de suas casas "por precaução", escreve a Reuters.

A diligência está também relacionada com o atentado da passada sexta-feira.

"Estão a ser colocados cordões de segurança a uma distância de 100 metros para facilitar o trabalho da polícia", confirmaram as autoridades.