As forças militares da Malásia acreditam que o avião comercial desaparecido, há já quatro dias, pode ter mudado a sua trajetória e viajado cerca de 500 quilómetros para oeste da sua rota inicial.

Segundo informou um oficial do exército malaio à Reuters, inicialmente pensava-se que o avião tinha desaparecido uma hora após a sua descolagem de Kuala Lumpur em direção a Pequim, mas agora acredita-se que o avião ainda chegou ao estreito de Malaca.

«O avião mudou de rota após Kota Bharu e baixou de altitude. Chegou ao estreito de Malaca», disse o oficial à agência.

Esta nova abordagem exclui a possibilidade de uma falha mecânica catastrófica, pois significa que o avião voou 500 km antes do seu último contacto com a torre de controlo, ainda que o seu transmissor de resposta e sistema de localização estivessem desativados.

Uma fonte próxima da investigação disse que esta é uma das teorias que estão a ser averiguadas.

Um jornal malaio citou um chefe da força aérea que afirmou que o avião foi detetado pela última vez pelo radar militar perto da ilha de Pulau Perak, a norte do estreito de Malaca. O militar contou que a aeronave estava cerca de mil metros abaixo da sua última altitude registada.

Não há registos do avião após esse momento.

Até ao momento não há pistas ou destroços encontrados pertencentes ao Boeing 777 que desapareceu na última sexta-feira, com 239 passageiros a bordo.