O piloto do Boeing 737 que se despenhou no aeroporto de Kazan, Rússia, no mês passado, pode ter obtido a sua licença ilegalmente, revela a Reuters.

Informações de investigadores do acidente revelam que o piloto recebeu a sua licença de um centro de treino que foi, mais tarde, fechado por suspeitas de atribuição de licenças ilegais.

O avião da Tatarstan despenhou-se a 17 de novembro, na sequência de uma aterragem falhada. Todos os passageiros e tripulantes da aeronave, um total 50 pessoas, morreram no desastre.

Vladimir Markin, do comité de investigação disse à «Interfax» que existem várias razões para crer que muitos pilotos, a operar em companhias aéreas «pequenas» russas, receberam licenças falsas para voos comerciais, e não receberam treino adequado.