[Notícia actualizada às 11h30]

Milhares de pessoas estão concentradas em festa junto à Casa Branca, a residência oficial do Presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, que anunciou a morte de Osama Bin Laden numa acção das tropas especiais norte-americanas.

Os festejos decorem ainda em Nova Iorque, na Times Square e no «Ground Zero», o local onde antes dos atentados de 11 de Setembro se erguiam as torres gémeas.

Num discurso ao país anunciado com cerca de uma hora de antecedência, Barack Obama revelou alguns pormenores da operação militar desencadeada nas últimas semanas para «deter e levar à Justiça» o líder da Al-Qaida, mas Osama Bin Laden acabaria morto durante uma troca de tiros entre as tropas americanas e os seus seguidores, da qual resultaram ainda mais 5 mortos.

Considerado desde os atentados do 11 de Setembro de 2001, incluindo o ataque às Torres Gémeas do World Trade Center, como o principal alvo dos Estados Unidos, Osama Bin Laden era procurado pelas autoridades norte-americanas nas regiões montanhosas do Paquistão, local onde acabaria por morrer.

Portugal também já reagiu à morte de Osama Bin Laden, considerando que é um marco simbólico na luta contra o terrorismo, mas o presidente do Observatório de Segurança e Criminalidade Organizada (OSCOT) espera retaliações com atentados terroristas no mundo ocidental.

Já os presidentes da Comissão Europeia, do Conselho da União Europeia e do Parlamento Europeu são unânimes: «Acordámos num mundo mais seguro».