Jeb Bush está na Europa para tentar convencer os eleitores republicanos que tem o que é necessário, no que diz respeito à política externa, para ser o candidato do partido à presidência dos EUA. E já escolheu um alvo para mostrar voz dura: o presidente russo, Vladimir Putin.

“Penso que para lidar com Putin é necessário lidar desde a força, ele é um agressor”, disse em Berlim o filho George Bush e irmão de George W. Bush, considerando que ser tolerante para com o discurso e as ações do chefe de Estado russo na Ucrânia significa “permitir o mau comportamento”. 

“A Rússia invadiu um país vizinho. Ocupou uma parte significativa desse país. Está a violar os acordos de Minsk, por isso estes são tempos diferentes de há cinco anos e penso que os Estados Unidos e os nossos amigos e aliados na Europa necessitam de ser resolutos”, apontou o antigo governador da Florida. 

O republicano sublinhou que se não se agir de forma firme com Putin isso irá “aumentar as probabilidades de ele levar a cabo novas ações”. 

Nesta visita de cinco dias, depois da Alemanha, Jeb Bush vai ainda visitar a Polónia e a Estónia. O republicano ainda não formalizou a entrada na corrida pela nomeação do partido, mas espera-se que isso aconteça na próxima semana.