O primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, avisou esta quarta-feira o movimento xiita libanês, o Hezbollah, que «vai pagar caro» por alguns dos seus mísseis terem matado dois soldados israelitas.

«Os que estiveram por detrás do ataque de hoje vão pagar caro», afirmou o primeiro-ministro israelita, segundo fontes do seu gabinete durante um encontro com responsáveis pela segurança do país.

O Conselho de Segurança da ONU vai reunir-se hoje, às 21:00 TMG (mesma hora em Lisboa), a pedido da França, para discutir os violentos incidentes entre Israel e o Hezbollah na fronteira sul do Líbano, disseram fontes diplomática.

Dois soldados israelitas e um «capacete azul» da ONU, de nacionalidade espanhola, morreram hoje durante confrontos entre o movimento radical Hezbollah e o exército de Israel, numa zona ocupada pelos israelitas no sul do Líbano.

Em 2006, confrontos entre o Hezbollah e Israel, que duraram cerca de um mês, provocaram a morte a mais de mil pessoas.

Israel ocupou partes do Líbano durante 22 anos, tendo saído daquele país em 2000, mas tecnicamente os dois países continuam em guerra.