Bruxelas permanece este domingo, pelo segundo dia consecutivo, em estado de alerta máximo devido a uma ameaça terroristas “iminente”, com as autoridades policiais em busca de vários suspeitos numa cidade de portas fechadas e ruas vazias.

O Órgão de Coordenação e de Análise de Ameaça (OCAM), que na sexta-feira à noite determinou que o risco justificava subir o nível de ameaça terrorista para “4”, o máximo, voltará a avaliar a situação hoje à tarde (16:00 de Lisboa), e, pelo menos até lá, a capital da Bélgica e da União Europeia continua a parecer uma “cidade fantasma”.

Todas as linhas de metro permanecem encerradas, os museus e monumentos estão de portas fechadas, os tradicionais mercados de rua de domingo foram cancelados, o comércio é quase inexistente, cinemas e teatros também puseram cadeados à porta e as competições desportivas, profissionais e amadoras, na zona de Bruxelas foram anuladas, tendo até os ginásios sido fechados.

A polícia belga encontrou na sexta-feira um arsenal de armas e explosivos num esconderijo em Molenbeek, nos arredores de Bruxelas. A notícia foi avançada pela imprensa belga e britânica.
  
De acordo com o jornal belga La Capitale, foi descoberto um grande arsenal de armas e munições, assim como explosivos. O jornal avançou ainda que as armas pertenceriam a uma “pessoa-chave” nas investigações, que estaria já sob detenção. 
  
A descoberta podia estar na base da justificação para a elevação do nível de alerta terrorista na Bélgica, escreve o jornal britânicoThe Guardian, que fala em “arsenal de explosivos e químicos”. O jornal britânico cita o belga Dernière Heure. 
  
O jornal L’Echo adiantou que as armas foram encontradas na casa de um suspeito já sob detenção. Este jornal garante, contudo que foram descobertas armas, mas não explosivos ou cintos explosivos. 

O L’Echo acrescentou que o suspeito em causa foi detido na quinta-feira, durante as buscas levadas a cabo em Bruxelas. A pessoa é suspeita de envolvimento em ataques terrorista e de participação em atividades de um grupo terrorista. 

De acordo com a RTL, quatro homens foram detidos na Place du Grand Sablon, em Bruxelas. Não há grandes detalhes sobre esta informação. Apenas se sabe que os homens estavam num carro suspeito.