Um protesto anti-austeridade em Frankfurt, na Alemanha, terminou, esta quarta-feira, em violência. Os manifestantes incendiaram carros da polícia e atiraram pedras na inauguração de novas instalações do Banco Central Europeu.

A polícia organizou um cordão de proteção em torno do novo edifício do BCE e lançou canhões de água para impedir os manifestantes de entrarem no novo edifício que custou 1,3 mil milhões de euros, noticia a Reuters.
De acordo com órgãos de informação internacionais, vários polícias ficaram feridos. A CNN, que cita fontes policiais, fala em 88 agentes feridos. Oito foram atingidos na cabeça por pedras atiradas por manifestantes e 80 foram atingidos por uma substância desconhecida.

As autoridades detiveram cinco pessoas por atos violentos contra a polícia e 500 por desacatos, adianta a porta-voz da polícia de Frankfurt Tessa Koschig.
 
Os organizadores do protesto acusam a polícia de ter dado origem à violência, dizendo que montaram um «cenário típico de guerra civil». A polícia refuta acusações de ter usado gás lacrimogéneo contra os manifestantes. 
 
Milhares de ativistas do movimento «Blockupy» concentraram-se no centro da cidade, num protesto contra o papel do BCE na austeridade contra vários estados membros da União Europeia. Várias ruas foram bloqueadas por barreiras de pneus a arder.

A organização estima que pelo menos 10 mil manifestantes se tenham concentrado na capital financeira da Alemanha. Muitos terão mesmo vindo de outros países europeus.  
São esperados cerca de 100 convidados, esta quarta-feira, para a cerimónia de inauguração do novo edifício do BCE. Entre eles Mário Draghi, que discursa neste momento.