Voltou a soar o alarme terrorista em Barcelona. As imediações da Sagrada Família foram evacuadas pela polícia, pelas 20:15 locais (menos uma hora em Lisboa), o que acontece menos de um mês depois do atentado de 17 de agosto, que foi levado a cabo na cidade, na zona turística das Ramblas, através de um atropelamento que vitimou 13 pessoas e feriu mais de 100.

Segundo alguns testemunhos, uma carrinha estacionada levantou suspeitas dos Mossos d'Esquadra, a polícia de Barcelona, que que ativou o serviço TEDAX para verificar se o veículo contém algum explosivo no seu interior. Depois de concluída a verificação, pelas 20:33, as autoridades descartaram que a carrinha constitua uma ameaça. Não continha material explosivo.

A estação de metro do icónico templo da Sagrada Família foi encerrada. Por esta estação passam duas linha, a 2 e a 5.

As autoridades pedem que a população não vá para a zona. As ruas Provença, Roselló e Sardenya estão cortadas, no âmbito da operação. A polícia pede às pessoas que tentem itinerários alternativos.

Estão a ser partilhadas no Twitter fotografias e vídeos da operação.

A polícia também evacuou praças e diversas lojas, estando ainda a efetuar buscas por objetos suspeitos em caixotes do lixo da zona.

A Catalunha encontra-se no nível de alerta antiterrorista quatro, depois de ter recebido um alerta europeu, que não especifica ameaças concretas.

Durante esta terça-feira, diversas operações de controlo de trânsito provocaram vários engarrafamentos na cidade de Barcelona.