O presidente norte-americano, Barack Obama, defendeu hoje que o debate sobre o controlo de armas tem de mudar, no decorrer de uma visita às famílias das vítimas do atentado do passado domingo em Orlando numa discoteca gay, onde morreram 49 pessoas.

Pouco depois de se reunir com as famílias das vítimas, Obama pediu aos membros do Congresso para se mostrarem "à altura" e votarem enquadramentos mais rigorosos para a venda de armas.

O presidente norte-americano afirmou que o debate sobre as armas de fogo nos Estados Unidos "tem de mudar".

Obama apelou ainda ao fim “da discriminação e da violência contra a comunidade LGBT”.

“Estas famílias poderiam ser as nossas famílias. De facto, são a nossa família, pois são parte da família norte-americana. O nosso coração também está partido”, afirmou Obama em declarações aos jornalistas.

As reuniões de Obama duraram horas, tendo falado primeiro com as forças policiais, agentes de segurança e equipas de emergência que compareceram para auxiliar aquando do tiroteio. Em seguida, encontrou-se com familiares das 49 vítimas e com alguns sobreviventes.