O presidente dos EUA, Barack Obama, e o presidente francês, François Hollande, elogiaram os quatro homens que travaram um ato terrorista, esta sexta-feira, num comboio de alta-velocidade que fazia ligação entre Amesterdão e Paris.

Segundo a agência Reuters, que cita um comunicado da Casa Branca, Obama e Hollande falaram ao telefone, este sábado, e concordaram que os homens, três americanos, um britânico - residente no sul de França - demonstraram uma “coragem notável” ao enfrentarem o terrorista fortemente armado.

O atentado terrorista foi evitado já em território francês, depois de dois dos homens, militares norte-americanos trajando à civil, terem reconhecido o som de uma metralhadora a ser carregada, lançando-se de imediato sobre o atacante para neutralizá-lo quando saía da casa de banho.  

Os heróis são Alek Skarlatos, 22 anos, membro da Guarda Nacional no estado de Oregon, Anthony Sadler, estudante de 23 anos, e Spencer Stone, membro da Força Aérea dos EUA, destacado na base das Lajes, nos Açores. Este último foi quem dominou o terrorista, mas não conseguiu escapar ileso: acabou esfaqueado no pescoço e numa mão.

O britânico, Chris Norman, foi o último a juntar-se à equipa de “heróis”, e ajudou a dominar e atar o terrorista, admitindo que quando se apercebeu do que estava a acontecer, tentou esconder-se.
 
Os quatro homens já receberam uma medalha oferecida pelo presidente da câmara de Arras, a cidade do norte de França onde foi interrompida a viagem do TGV, e onde a polícia deteve o atacante, já identificado como de nacionalidade marroquina.

O homem já estava referenciado por Espanha enquanto suspeito de pertencer às fileiras islâmicas radicais, tendo viajado à Síria no ano passado.