O ex-presidente norte-americano Barack Obama alertou para os riscos de fragmentação da sociedade em consequência do ”uso irresponsável” das redes sociais, numa entrevista à BBC Radio 4 conduzida pelo príncipe britânico Harry, transmitida esta quarta-feira.

Um dos perigos da internet é que as pessoas podem ter realidades completamente diferentes [e] Podem ficar rodeadas apenas por informações que reforçam os seus preconceitos”, disse Obama.

O ex-presidente dos Estados Unidos (2009-2017) não se referiu diretamente ao seu sucessor, Donald Trump, um utilizador muito frequente do Twitter, mas a referência parece mais do que encaixar no seu sucessor.

A questão está em como podemos explorar esta tecnologia de uma maneira que permita múltiplas vozes, diversidade de opiniões, mas que não leve a uma balcanização da sociedade e permita encontrar pontos em comum”, defendeu.

Obama afirma por outro lado que a saída da Casa Branca lhe suscita um sentimento de “serenidade”, mas também “sentimentos contraditórios” em relação ao “trabalho que ficou por fazer” e “preocupações com o futuro” do país.

O que me mudou desde que terminou o mandato: É “muito libertador”, “levanto-me mais tarde” e ”decido a minha própria agenda” e “tenho tempo para conversar com a minha mulher”.

Barack Obama admite contudo sentir falta de alguns aspetos da presidência, que diz ser “fascinante e gratificante”.

Sinto falta da minha equipa, sinto falta do trabalho em si".

A entrevista foi feita em setembro, em Toronto (Canadá), à margem dos Invictus Games, uma competição desportiva em que participam militares feridos em combate, apadrihados pelo príncipe Harry, neto da rainha Isabel II, quinto na sucessão ao trono britânico.