A orca mais velha do mundo foi dada como morta pela comunidade científica norte-americana, que seguia este animal.

Com uma idade estimada de 105 anos, os investigadores norte-americanos do Centre for Whale Research (CWR), de Washington (Centro para a Investigação de Baleias, na tradução literal), que estudam e monitorizam a população residente no noroeste do Pacífico, acreditam que este animal, rotulado de "J2" e apelidado de “avozinha”, era a orca mais velha do mundo.

Nos últimos 40 anos, a avozinha foi avistada "milhares de vezes", o que aconteceu, pela última vez, em outubro passado. 

Mesmo com uma margem de erro de 12 anos, a comunidade científica defende que a "J2" era a baleia-assassina mais velha do mundo.

A primeira imagem da "J2" foi documentada em 1976, pelo fotógrafo Ken Balcomb do CWR. Foi observada pela última vez a nadar a norte do Estreito de Haro.

Talvez outros investigadores tenham observado a baleia desde então, mas, desde o final do ano, ela está oficialmente ausente da população residente do sul e, infelizmente, consideramo-la morta”, escreveu o também diretor executivo do CWR, Kenneth Balcomb, no obituário da "J2".

As orcas foram listadas como “em vias de extinção” em 2005, apesar de todos os esforços para a proteção destes animais.