A praia paradisíaca de Awaroa, na Nova Zelândia, foi comprada ao empresário milionário a quem pertencia por 2,3 milhões de dólares, o equivalente a cerca de 15 milhões de euros. Após a realização da compra, tornada possível através de crowdfunding, uma angariação de fundos online, a praia foi entregue, no passado domingo, ao público, tornando-se parte do Parque Nacional Abel Tasman da Ilha Sul.

A angariação de fundos para a aquisição da praia de sete hectares do empresário Michael Spackman contou com o contributo de cerca de 40 mil pessoas. A adesão foi tal que a população pôde recusar a oferta de um outro empresário que pretendia ter acesso exclusivo a uma parte do areal.

Atualmente, a antiga praia privativa é administrada pelo Parque Nacional Abel Tasman, depois de Spackman ter concordado em vender o local após a angariação de fundos ter alcançado a meta em pouco mais de três semanas de campanha. A compra garantiu também que a praia não voltaria a cair nas mãos de privados.

Tem sido realmente uma experiência de união. Pessoas de outros países têm também reconhecido o que isso representa. Vivemos na era de várias formas de tecnologia que podem separar as pessoas mas, neste caso, elas juntaram-nas", afirmou o ativista Duane Major à BBC, um dos organizadores da campanha.

A angariação de fundos, além da colaboração dos participantes, contou também com um pequeno contributo do Governo neozelandês. A campanha negociou também com grupos maori da região que acreditavam que a praia lhes deveria ser entregue.