A lista com os nomes dos passageiros do A320 que se despenhou esta terça-feira não será, por agora, revelada. A garantia foi dada em conferência de imprensa pelo presidente da Germanwings, Thomas Winkelmann. A decisão da companhia aérea visa proteger os familiares das vítimas mortais, já que é certo que «não há sobreviventes».



Thomas Winkelmann confirmou que a bordo seguiam 144 passageiros, dois pilotos e quatro assistentes de bordo. Sem querer adiantar pormenores, acabou por reconhecer que seguiam no voo 4U 9525 dois bebés e 67 alemães. Entre os germânicos estarão 16 estudantes e dois professores, todos da mesma escola. Os jovens terão idades compreendidas entre os 15 e os 16 anos.

O representante máximo da companhia aérea explicou ainda que o piloto tinha mais de dez anos de experiência e mais de 10 mil horas de voo, seis mil das quais com aparelhos A320.



Thomas Winkelmann garantiu ainda que a empresa tudo fará para apurar a causa do acidente.

Apesar do nome das vítimas estar, por enquanto, protegido, vários órgãos de comunicação social avançaram que os 16 estudantes e os dois professores regressavam a casa, ao liceu Joseph King, em Haltern am See, perto de Dusseldorf, após um intercâmbio juvenil. Após a notícia do acidente, o estabelecimento de ensino foi encerrado e todos os alunos mandados para casa.

Por seu lado, a Rádio Catalunha avança que os jovens alemães estavam a estudar em Llinars del Vallès, Barcelona.  Mas esta informação não está oficialmente confirmada.

Entretanto, a vice-presidente do executivo espanhol, Soraya Sáenz de Santamaría, já tinha admitido a possibilidade de 45 passageiros serem de nacionalidade espanhola. Acrescentando, depois, que os dois bebés que perderam a vida fazem parte da lista de cidadãos espanhóis.

Há ainda informações, não oficiais, de que um número indeterminado de passageiros turcos terá perdido a vida neste acidente de avião.

Entretanto, Didier Reynders, ministro dos Negócios Estrangeiros da Bélgica divulgou, através das redes sociais, uma mensagem de condolências «à família de um compatriota falecido no acidente em França», confirmando assim, a presença de, pelo menos, um cidadão belga a bordo.