Os pilotos do A320 da Germanwings que se despenhou terça-feira nos Alpes Franceses não responderam à torre de controlo. Após perceberem que o aparelho estava a perder altitude, ao contrário do que tinha ficado estabelecido na última comunicação, os controladores aéreos tentaram falar com o avião. Tentaram três vezes e nunca obtiveram resposta.



Entre a última comunicação e a queda do Airbus, decorreram quase 20 minutos. A informação foi avançada, esta quarta-feira, pela ministra dos Transportes e Ambiente francesa, Ségolène Royal.
  • - O último contacto com o voo 4U 9525 aconteceu às 10:30. Piloto e controladores de Aix-en-Provence, no sul da França, falaram e foi dada ordem para o aparelho permanecer nos 11 mil metros de altitude. Comandante respondeu «Ok».
  • - Um minuto depois, às 10:31, começou a perder altitude sem autorização. Questionado pelo controlador sobre o motivo da mudança de altitude, o A320 não dá resposta.
  • - O avião continua em descida e às 10:35, após uma segunda tentativa de contacto sem resposta, é dado o alerta.
  • - A última chamada dos controladores é feita às 10:36. Pilotos da Germanwings nunca responderam.
  • - Às 10:40, já com o aparelho a menos de dois mil metros de altitude, este desaparece do radar.
  • - Em seguida, às 10:42, os controladores avisam o centro nacional de emergência de que o aparelho já não está visível no radar.
  • - Às 10:49 os helicópteros da polícia levantam voo em direção à última localização conhecida.
  • - Às 11:10 e avistam os primeiros destroços nos Alpes Franceses.

Entre o início da descida sem explicação e o momento em que o avião desaparece do radar passaram quase 20 minutos.

A ministra francesa descreveu os factos considerados mais importantes do acidente e acabou por assumir que a resposta ao mistério pode estar no que aconteceu num minuto específico, entre as 10:30 e as 10:31.
 

«É crucial» saber o que aconteceu no cockpit naqueles 60 segundos


O A320 que esta terça-feira se despenhou nos Alpes franceses transportava, ao todo, 150 pessoas: 144 passageiros, dois pilotos e quatro membros da equipa de voo. Não há sobreviventes. Os nomes ainda não são todos conhecidos, mas a companhia revelou algumas nacionalidades.