O procurador alemão Christoph Kumpa, confirmou esta quinta-feira que a polícia está a fazer buscas em várias propriedades em Dusseldorf e noutros locais na tentativa de encontrar provas que justifiquem o comportamento do copiloto que terá sido responsável pela queda do avião e a morte de 150 pessoas nos Alpes franceses na segunda-feira.

 
O que sabemos sobre o copiloto Andreas Lubitz

A320: os 10 minutos fatais

O responsável do Ministério Público não adiantou mais detalhes, dizendo apenas que esse trabalho ainda vai levar algum tempo.

Testemunhas disseram à Reuters que a polícia esteve na casa do copiloto e que levou várias caixas de cartão. 

O presidente da companhia aérea alemã Lufthansa, Carsten Spohr, considerou «inimaginável» o acidente aéreo com o A320 da companhia Germanwings, cujo copiloto terá precipitado deliberadamente o avião contra o solo nos Alpes franceses.

«Parece inimaginável que pudesse ocorrer semelhante tragédia na nossa empresa. As nossas tripulações são selecionadas com o maior rigor», declarou Carsten Spohr, sobre o gesto de Andreas Lubitz, que terá feito despenhar na terça-feira o Airbus A320 no maciço de Estrop, entre Digne-les-Bains e Barcelonnette, provocando a morte de todos os 150 ocupantes.

«Tentamos centrar a atenção na capacidade psicológica dos nossos candidatos em assumirem os comandos de um avião».