Eva Garcia de la Torre, autarca de O Porriño, onde esta sexta-feira descarrilou um comboio da CP com destino ao Porto, afirmou que o comboio era “muito velho”.

Ao jornal Faro de Vigo, a autarca demonstrou consternação pelo acidente que matou pelo menos quatro pessoas e feriu dezenas de outras.

Estamos todos em estado de choque”, comentou menos de uma hora depois do incidente.

Eva Garcia de la Torre recusou confirmar o número de vítimas e diz que é importante verificar se o acidente não vitimou ninguém que seguisse fora do comboio.

Há operários que trabalham na zona”, afirmou.

O comboio tinha deixado a cidade espanhola de Vigo em direção a Portugal mas, cerca das 9:30 (menos uma hora em Lisboa), terá chocado no pilar de uma ponte antes de descarrilar à entrada da estação de O Porriño.

Ministro espanhol diz que comboio da CP tinha feito revisão em maio

O ministro do Fomento de Espanha, Rafael Catalá, revelou que o comboio da CP que descarrilou na Galiza, matando quatro pessoas, fez uma "grande revisão em maio" e uma revisão de rotina na quinta-feira, no Porto.

O titular espanhol da pasta das infraestruturas e transportes falava aos jornalistas em O Porriño, a localidade galega onde aconteceu o desastre ferroviário.

Sobre o acidente, que ocorreu às 09:25 locais (08:25 em Lisboa), Rafael Catalá adiantou que a linha em causa - no trajeto Vigo-Porto - estava em obras perto da estação de O Porriño, pelo que o comboio teve de ser desviado para "uma linha secundária que obrigava a uma redução de velocidade" da composição.

Foi nesta linha secundária que o comboio - com três carruagens - acabou por descarrilar.

O ministro espanhol também salientou que o maquinista - um português que acabou por ser uma das vítimas mortais - tinha todas as certificações para operar o equipamento acidentado e que, "obviamente, estava informado sobre a intervenção que estava a ocorrer na linha".

Já o vice-cônsul de Portugal na Galiza, Manuel Correia da Silva, adiantou que uma mulher portuguesa estava entre os feridos graves, mas que entretanto já recebeu alta.

O comboio, com 63 passageiros, era da CP portuguesa e fazia o trajeto Vigo-Porto partilhado com a Renfe espanhola na linha conhecida com o nome “Celta”, inaugurada em julho de 2013.