Uma mulher australiana foi condenada a três meses de prisão, depois de ter pedido aos familiares milhares de euros para tratar um cancro que nunca teve. 

Hanna Dickeson, com 24 anos, conseguiu quase 42 mil dólares australianos (cerca de 25 mil euros), utilizando o falso argumento de que precisava de fazer tratamentos médicos para tratar a suposta doença. 

Os pais, agricultores de profissão, prometeram ajudá-la a todo custo. Como tinham algumas dificuldades económicas, usaram todos os recursos que podiam: hipotecaram a casa e pediram ajuda a amigos e conhecidos. 

De acordo com a BBC, a artimanha foi descoberta depois de um doador ter visto fotos da mulher nas redes sociais, em que aparecia em várias festas e viagens, e alertou as autoridades.

Mais tarde, Hanna acabou por confessar o que tinha feito.

O juiz referiu-se ao caso como um "golpe desprezível", e condenou-a a três meses de prisão e a 12 meses de trabalhos comunitários.

A advogada de Hana disse que ela pretendia recorrer da decisão do tribunal.