O poderoso ciclone Marcia que atinge o nordeste da Austrália, onde provocou danos em casas, apagões massivos e obrigou à retirada de residentes, perdeu força depois de ter tocado em terra, baixando para a categoria 3.

Milhares de pessoas encontram-se sem energia elétrica e centenas de outras foram transferidas para centros de abrigo, apesar de, até ao momento, não haver registo de mortos ou feridos graves.

O ciclone Marcia entrou em território australiano esta manhã, tocando terra na baía de Shoalwater, entre as localidades de Lawrence e Yeepoon, no estado de Queensland, no seu nível máximo (5).

A potência levou as autoridades a advertirem as pessoas para se preparem para uma experiência «angustiante e assustadora» e para uma «calamidade».

O ciclone arrancou telhados de casas e derrubou árvores na localidade de Yeppoon, com 16 mil habitantes, onde tocou quando estava na categoria 4, segundo a chefe do Governo de Queensland, Annastacia Palaszczuk.

O Marcia, que mais tarde baixou para a categoria 3, também atingiu a cidade de Rockhampton, a sul de Yeppoon, com 70 mil habitantes.

O Departamento de Meteorologia indicou que o ciclone, ainda com ventos sustentados de 150 km/h e rajadas de até 205 km/h, está a desacelerar progressivamente à medida que se move rumo a sul.

O núcleo “destrutivo” do Marcia, que se movimenta a uma velocidade de 19 km/h, situa-se a cerca de cinco quilómetros a sudoeste de Rockhampton.

Num fenómeno raro, a Austrália está a ser afetada por dois poderosos ciclones em simultâneo, já que, além do Marcia, vê-se a braços com o Lam, que atingiu a região do Território Norte esta madrugada com categoria 4, entretanto revista em baixa para 1, causando «danos significativos».