O alegado sequestro num apartamento da cidade belga de Ghent esta segunda-feira de manhã foi dado por terminado ao início da tarde com a detenção de três homens.

«Acabou», terá dito um dos agentes quando os homens abandonaram o edifício, segundo um canal de televisão flamenco.   

Os homens entregaram-se às autoridades. Saíram do edifício com as mãos na cabeça.

Inicialmente foi anunciado de que esta era uma situação de sequestro levada a cabo por quatro homens armados com kalashnikovs, mas, as autoridades não confirmam a existência de armas e há dúvidas de que efetivamente existisse um refém. A polícia desencadeou, no entanto, inicialmente as operações com vista a negociar a libertação do aparente refém e cedo informou a população de que não se tratava de uma situação com ligações terroristas, como aquela que decorre em Sidney, na Austrália, em que um homem sequestrou um número indeterminado de pessoas num café. «Este não é o mesmo tipo de incidente que o registado em Sidney», apressou-se a informar a porta-voz do procurador, citada pela BBC.

Um vizinho foi mais longe e disse também à cadeia de notícias inglesa que «o incidente está ligado a 100 por cento ao tráfico de droga».
 
Este é o segundo caso do género naquela cidade belga desde outubro.