Perto de 300 locais classificados como património cultural na Síria foram destruídos, danificados ou saqueados durante os mais de três anos de guerra, nomeadamente em Alepo e Palmyra, segundo um relatório da ONU baseado em imagens de satélite.

«Regiões como Alepo, cujo povoado remonta a 7.000 anos, Damasco, Krak dos Cavaleiros (Castelo dos Cavaleiros, fortificação militar), Raqa e Palmyra sofreram elevados estragos», informou hoje o Instituto das Nações Unidas para a formação e pesquisa (Unitar).


Graças ao seu Programa operacional para aplicações por satélite (Unosat), este instituto analisou 18 zonas, onde detetou 290 locais diretamente afetados.