Os Estados Unidos anunciaram na noite de sábado que vão retirar todo o pessoal do Iémen por razões de segurança depois de ataques suicidas terem provocado a morte a 142 pessoas em Sana, noticia a AFP.

«Devido à deterioração da segurança no Iémen, o Governo do Estados Unidos vai retirar temporariamente o seu pessoal do Iémen», referiu em comunicado o porta-voz do Departamento de Estado, Jeff Rathke.

O atentado suicida na capital do Iémen, Sanaa, causou 142 mortos e 351 feridos, de acordo com um novo balanço divulgado sábado pelo Ministério da Saúde iemenita acerca do crime já reivindicado pelo grupo extremista Estado Islâmico.

Milícia xiita dos «huthis» assumiu controlo do aeroporto de Taiz

A milícia xiita dos «huthis» assumiu este domingo o controlo do aeroporto de Taiz, no sudoeste e a segunda maior cidade do Iémen, e começou a enviar forças para Aden, onde reside o presidente iemenita, Abd Rabbo Mansur Hadi.

Testemunhas em Taiz, citadas pela EFE, afirmaram que milicianos «huthis», vestidos com uniformes das Forças Especiais, ocuparam tanto o aeroporto como um aeródromo militar próximo.

Também assumiram o controlo do complexo onde estão localizados os tribunais da cidade, que se encontra a 250 quilómetros de Sana e cujos habitantes são maioritariamente sunitas.