O primeiro avião a operar a partir do aeroporto internacional de Bruxelas desde os atentados terroristas de 22 de março descolou ao início desta tarde, rumo a Faro, assinalando a reabertura, ainda muito condicionada, do aeroporto de Zaventem.

Doze dias após os ataques que atingiram a capital belga e sede das instituições europeias e da NATO, que fizeram 35 mortos, metade dos quais em Zaventem, e centenas de feridos, o aeroporto internacional de Bruxelas reabriu hoje parcialmente, de forma quase simbólica e de ensaio, com apenas três partidas agendadas, e sob fortes medidas de segurança.

Os acessos ao aeroporto fazem-se apenas de carro, com agentes da polícia federal e militares a patrulharem as estradas em redor, a controlarem cada veículo e a deixarem passar apenas quem apresentar o cartão de embarque para um dos três voos a sair hoje de Zaventem, todos operados pela Brussels Airlines, e com destino a Faro, Atenas e Turim, além naturalmente de funcionários do aeroporto e tripulações.

O primeiro avião a deslocar, com destino a Portugal, fê-lo ainda antes da hora prevista (13:40 locais; 12:40 de Lisboa) e tem chegada prevista a Faro às 15:35 locais, seguindo-se dois outros voos, rumo à Grécia e a Itália.

Estes três aparelhos protagonizarão também, ao final do dia de hoje, as três primeiras chegadas ao aeroporto de Zaventem desde os atentados de 22 de março, pois todos eles farão o voo de regresso.

Nos próximos dias, o número de voos com partida e chegada a Zaventem irá aumentar de forma progressiva e será alargado a outras companhias aéreas e destinos para fora da Europa, estando previstos para segunda-feira 16 voos europeus (oito partidas e oito chegadas), algumas ligações a África e um voo de e para Nova Iorque, Estados Unidos.