Um homem com explosivos no corpo fê-los detonar num comício do partido político anti-Talibã Awami em Peshawar, no noroeste do Paquistão, matando 12 outras pessoas, incluindo um candidato às eleições de 25 de julho. No caso, tratar-se-á de Haroon Bilour, filho do líder partidário Bashir Bilour, que morreu em circunstâncias semelhantes há cinco anos.        

Segundo a polícia local, citada pela agência de informação Reuters, o atentado ocorreu numa reunião do Partido Nacional Awami (ANP) em

Peshawar e causou frimentos em 50 outras pessoas.

Até ao momento, ainda não foi reivindicado o atentado que constitui o primeiro caso de grande violência neste período pré-eleitoral que decorre no país asiático.

O partido ANP tem sido um dos principais alvos de ataques dos fundamentalistas islâmicos Taliban desde 2013, quando o líder Bashir Bilour morreu num atentado suicida. Segundo a agência Reuters, esta terça-feira, uma das vítimas terá sido o seu filho Haroon Bilour, candidato à assembleia provincial.