Um ataque com um morteiro na base dos capacetes azuis da ONU no Mali matou pelo menos três pessoas e feriu outras 20, revelou este sábado um porta-voz da missão das Nações Unidas.

O ataque está a ser avançado pela imprensa internacional, que refere que ainda não  foi reivindicado.

"O nosso acampamento foi atacado em Kidal no início desta manhã por terroristas. Eles usaram 'rockets' que mataram dois elementos da força de paz da nacionalidade guineense" e ainda um "elemento civil", disse à agência AFP um funcionário da Organização das Nações Unidas, confirmando ainda a informação uma fonte local.

Segundo a TVI apurou, atualmente são 13 os militares portugueses em missão no país, mas nenhum está destacado na base em causa.

Recorde-se que na semana passada 10 homens armados atacaram o hotel Radisson e fizeram 170 reféns e pelo menos 22 mortos.

O grupo Al-Murabitun, dirigido pelo argelino Mokhtar Belmokhtar, que reivindicou a autoria do ataque, foi fundado em 2013 e apresenta-se como o ramo da Al-Qaeda na África Ocidental.