O grupo de media dinamarquês JP/Politikens Hus, cujo jornal Jyllands-Posten publicou em 2005 cartoons satíricos do profeta Maomé, não vai republicar os cartoons satíricos do Charlie Hebdo por razões de segurança, adianta a Reuters.

«Mostra que a violência funciona», adiantou o jornal dinamarquês no seu editorial desta sexta-feira.

Os outros jornais de referência do país republicaram os cartoons satíricos como parte integrante da cobertura ao atentado terrorista que matou 12 pessoas em Paris, na sua maioria cartunistas e jornalistas do jornal satírico francês. Situação que, aliás, se replicou por toda a Europa.

«Vivemos com o medo de um ataque terrorista há nove anos e sim, esta é a explicação para não republicarmos os cartoons», adianta a publicação.

Recorde-se que no dia do atentado o J yllands-Posten já tinha reforçado a segurança.