Foi libertado mais um suspeito dos atentados em Barcelona e Cambrils. A justiça espanhola não encontrou "indícios suficientemente sólidos" para manter Salh El Karib preso. Este homem, dono de um centro de chamadas e internet.

Não se conseguiu estabelecer, com aquilo que o bom direito prevê, a existência de indícios suficientemente sólidos para adotar una medida de gravidade e excecionalidade como a prisão preventiva"

O juiz Fernando Andreu tinha decidido, segundo o El País, prolongar a detenção deste homem - os atentados ocorreram há uma semana - para que a polícia pudesse levar a cabo novas diligências, no âmbito da investigação.

O que se save é que este homem pagou voos, através da internet do seu estabelecimento, para outros dois suspeitos: Driss Oukabir, atualmente preso, e para o imã Abdelbaki Es Satty, que foi morto em Alcanar.

Salh El Karib fica obrigado a comparecer todas as segundas-feira no tribunal, ficando com termo de identidade e residência e estando proibido de sair do país. Por isso, terá de entregar o seu passaporte às autoridades.

Antes deste homem, outro suspeito já tinha saído em liberdade, há dois dias, também por não existirem indícios suficientemente sólidos para se manter preso. Trata-se de Mohammed Aalla, de 27 anos, que fica em liberdade condicional, com apresentações semanais.

O registo do Audi A3 em que viajavam os terroristas de Cambrils estava em nome de Aalla, mas o suspeito negou que lhe pertencesse, sendo conduzido pelo seu irmão.

Mohamed Aalla foi esta quinta-feira ao tribunal de Ripoll para entregar o seu passaporte. Ficou também hoje confirmado que o seu irmão Youssef é o segundo morto na explosão de alcanar. O outro irmão, Said, foi abatido a tiro em Cambrils.