Abdelhamid Abaaoud. Será ele o mentor dos ataques de sexta-feira, em Paris, acreditam as autoridades. A informação é avançada pela Associated Press, que cita uma fonte com conhecimento direto da investigação, ainda em curso. 

Trata-se de um belga de 27 anos de idade, de origem marroquina, que integrou a luta do Estado Islâmico, na Síria, onde esteve a combater.  

Chegou a aparecer em vídeos do Estado Islâmico, ao volante de um carro que transportava corpos mutilados para uma vala comum. Está, ainda, relacionado com o ataque num comboio de alta velocidade com destino a Paris, frustrado por dois soldados norte-americanos, e com um outro ataque contra uma igreja.

Para além disso, o homem, ainda amonte, tem ligação a dois outros que foram mortos numa operação antiterrorista em janeiro, em Verviers, Bélgica.

Entretanto, está a decorrer uma caça ao homem em Bruxelas. As autoridades procuram um dos suspeitos ligado aos ataques de Paris:  Abdeslam Salah. É um de  três irmãos envolvidos nos ataques. Um deles morreu no ataque à sala de concertos Bataclan, outro foi detido na Bélgica, não se sabendo se participou ou não nos ataques, e o terceiro tem paradeiro desconhecido das autoridades, que estão agora no seu encalce. 


Mais dois terroristas identificados


As autoridades francesas identificaram ainda mais dois terroristas dos ataques de sexta-feira, em Paris: um deles é francês, outro é sírio, revelou esta segunda-feira o procurador francês.
 
Os últimos dois indivíduos identificados são:
 
- Samy Amimour, nascido em 15 de Outubro de 1987 em Paris e originário de Drancy. Foi um dos kamikaze da sala de espetáculos Bataclan. Segundo a família, ele esteve na Síria em 2013.

É conhecido da justiça antiterrorista desde 2012, quando em outubro desse ano foi acusado por associação criminosa terrorista, no âmbito de um ataque abortado a partir do Yémen. Nessa altura, ficou sob controlo judicial. Violou a fiscalização jurisdicional sob a qual estava abrangido, no outono de 2013, tendo a partir daí sido emitido um mandado internacional de prisão. Três pessoas do seu círculo familiar ficaram sob custódia policial, esta manhã.
 
- o outro homem é um kamikaze sírio do Estádio de França, mas ainda não se sabe se o passaporte de Ahmad Al-Mohammad, nascido a 10 setembro de 1990 em Idlib, na Syrie, lhe pertence. Há, no entanto, uma coincidência de impressões digitais deste homem-bomba e daqueles que foram encontrados durante uma inspeção na Grécia, em outubro de 2015.

Sete terroristas morreram nos atentados de sexta-feira à noite, mas um ou mais podem ainda estar em fuga. Esta é a lista dos criminosos identificados até agora. 

França levou a cabo uma operação antiterrorista na madrugada de domingo para segunda-feira, com quase 170 buscas em diferentes cidades e várias detenções. 

O primeiro-ministro francês admitiu hoje de manhã, em entrevista à RTL, a possibilidade de existirem novos ataques terroristas "nos próximos dias, nas próximas semanas".