As forças militares norte-americanas prosseguiram, este domingo, com os ataques contra o Estado Islâmico no Iraque, destruindo três blindados, incluindo um com uma bateria antiaérea e um controlo de segurança dos «jihadistas», informou o comando central dos EUA.

Estes ataques foram levados a cabo para «apoiar os esforços humanitários no Iraque e proteger o pessoal e as instalações norte-americanas», bem como para «apoiar as forças de segurança iraquianas e curdas que estão a trabalhar em conjunto para combater o grupo Estado Islâmico», indicou o comando central dos Estados Unidos em comunicado.

Este domingo, as autoridades norte-americanas tinham já anunciado um total de 14 ataques, os quais danificaram ou destruíram, entre outros, dez viaturas blindadas do Estado Islâmico (EI) e um posto de controlo.

Ministro da defesa britânico diz que envolvimento vai durar meses

O Reino Unido está a expandir o seu envolvimento no Iraque para além da missão humanitária e o seu envolvimento deverá durar meses, afirmou o ministro da Defesa britânico, Michael Fallon, em declarações publicadas hoje pela imprensa.

«Não se trata simplesmente de uma missão humanitária. Nós, juntamente com outros países da Europa, estamos determinados em fazer o que pudermos para ajudar o governo iraquiano a combater esta forma nova e extremamente radical de terrorismo promovida pelo EI (Estado Islâmico)», disse o ministro britânico a pilotos e a outros membros da Força Aérea Real durante uma visita à base de Akrotiri, em Chipre.

Um porta-voz do ministério da Defesa confirmou as declarações, mas sublinhou, porém, que datam do passado sábado.