Os ataques aéreos continuam a matar dezenas de crianças na Síria, como aconteceu nesta quarta-feira, em que pelo menos 12 morreram na sequência de bombardeamentos das forças do regime contra bairros controlados pelos rebeldes, em Ghouta oriental, enclave sitiado a leste de Damasco.

Ao todo morreram 27 civis e mais de 60 ficaram feridos, com muitas crianças e adultos a ficarem presos entre os escombros.

A denúncia é feita pelo Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH) e imagens como o vídeo que se segue foram partilhas pelos Capacetes Brancos (Defesa Civil Síria).

Já na terça-feira, as forças do regime mataram 80 pessoas, entre as quais 19 crianças e 20 mulheres, acusa a mesma organização não governamental.

No mesmo dia, as Nações Unidas apelaram a uma pausa humanitária de pelo menos um mês para assistência a milhares de pessoas e para retirar os feridos e doentes.

Milhares de civis estão sem acesso a comida e medicamentos, denuncia ainda o Observatório.

Ghouta oriental está cercada há quatro anos, mas os bombardeamentos intensificaram-se nos últimos dias depois de um avião russo ter sido abatido numa zona controlada pelos rebeldes, em Idlib.

Mais de 340 mil pessoas já morreram desde o início da guerra na Síria, em 2011, que forçou ainda milhões a procurar refúgio, particularmente na Europa.