Owen Kennard, chefe numa empresa de mantenção, foi esta quinta-feira condenado por um tribunal de Liverpool, em Inglaterra, a pagar uma indemnização de mais de 15 mil euros a uma ex-funcionária.

Elizabeth Cowhig, de 22 anos, recorreu aos tribunais para contestar o seu despedimento, argumentando que fora dispensada por não corresponder aos «avanços» do chefe.

A mulher disse em tribunal que Owen Kennard lhe havia apalpado o rabo e dito «desculpe, não resisti». Acrescentou ainda que ele a tinha beijado na testa e convidado para ir para um hotel.

O homem recusou as acusações,alegando que despediu Elizabeth Cowhig porque o trabalho era «fraco», cita o «Metro».

No entanto, o tribunal deu como provado o assédio sexual e condenou o homem a pagar uma indemnização de 13 mil libras, mais ou menos, 15500 euros.