O presidente da Câmara de Buenos Aires, Mauricio Macri, decretou na noite de sábado o estado de «emergência» energética na capital argentina por constantes cortes de fornecimento que deixaram milhares de pessoas sem luz nem água no meio da pior onda de calor em quatro décadas.

O mesmo responsável explicou aos jornalistas que a administração local tem estado a distribuir água potável pela população, reforçou as equipas de emergência médica e reduziu ao máximo possível o consumo de energia nos departamentos públicos.

«Esperamos propostas concretas do Governo nacional», disse o presidente da Câmara.