O Irão vai propor, na quarta-feira, um plano de paz para o Iémen às Nações Unidas.
 
O acordo terá quatro pontos, de acordo com a Press TV, citada pela Reuters.
 
O ministro dos Negócios Estrangeiros iraniano, Javad Zarif, considerou na terça-feira em Madrid, Espanha, a importância de um acordo que envolva um cessar-fogo naquele país, ajuda humanitária e ainda a necessidade de mediar conversações entre as fações rebeldes no Iémen e as forças governamentais.
 
O responsável pelas relações diplomáticas iranianas deixou ainda um apelo à Arábia Saudita para que acabe com os ataques aéreos ao Iémen.
 
O Irão é contra a força liderada pela Arábia Saudita que tem feito ataques aéreos a posições dos rebeldes iemenitas desde que o presidente daquele país foi obrigado a fugir de barco pelo porto de Aden e se refugiou em Riade, a capital saudita.
 
O líder supremo religioso iraniano, Ayatollah Ali Khamenei, deixou, na semana passada, críticas à Arábia Saudita, numa  entrevista televisiva.
 
«A agressão levada a cabo pela Arábia Saudita contra o Iémen e o seu povo é um erro», frisando tratar-se de «um crime e de um genocídio que deve ser analisado nos tribunais internacionais», disse.
 
A Cruz Vermelha já descreveu a situação no Iémen como dramática e conseguiu autorização para aterrar dois aviões na capital com material hospitalar e pessoal médico.