O Sudão é acusado pela Amnistia Internacional de matar, ferir e torturar manifestantes no seu país. A AI pede que os responsáveis sejam levados à justiça.

Estas acusações constam do mais recente relatório, publicado esta quarta-feira, e que foi elaborado pelo Centro Africano para Estudos de Justiça e Paz (ACJPS, na sigla em inglês), intitulado «Excessiva e mortal: o uso da força, detenção e tortura contra manifestantes no Sudão», indica a Lusa.

O relatório documenta testemunhos sobre violações dos Direitos Humanos cometidas pelas forças de segurança contra uma maioria de manifestantes pacíficos nos últimos dois anos.