Um homem de 73 anos foi detido, este domingo, depois de ter iniciado um tiroteio que se revelou mortal para três pessoas, as quais se encontravam em instalações judaicas na cidade do Kansas, nos EUA.

O homem foi identificado como Frazier Glenn Miller, fundador de um antigo grupo do «Ku Klux Klan», com um longo historial de racismo.



Durante o tiroteio três pessoas perderam a vida. Duas das vítimas foram abatidas no Centro da Comunidade Judaica da Grande Cidade de Kansas. A outra encontrava-se no Centro de Aposentadoria Shalom da Cidade.

O incidente ocorreu por volta da 13h locais, quando os judeus celebravam a sua libertação por parte do povo do Antigo Egito.

Segundo o «Kansas City Star» o atirador disparou contra cinco pessoas, mas duas conseguiram sair ilesas, sem ferimentos a registar.

O morador Matt Davis que vive perto de Vale Park Elementary, local onde a polícia prendeu Miller, estava a escolher um fato para o mitzvah do seu filho, que o acompanhava. Davis decidiu aproximar-se do local, e segundo afirma, o homem estava a sorrir.

«Eu perguntava-me o porquê da cara de felicidade, numa altura em que estava a ser detido», explicou Davis, cuja filha estava dentro do Centro Comunitário Judaico, enquanto o tiroteio ocorria no estacionamento do local.

O Centro de Direito de Southern Poverty (SPLC), organização ativista que monitoriza crimes de ódio e atividades racistas, explicou à polícia de que se tratava de Frazier Glenn Miller e não Frazier Glenn Cross como se tinha identificado às autoridades.

Segundo o SPLC, Miller terá fundado e dirigido os «Cavaleiros de Carolina», grupo associado ao Ku Kluux Klan, antes de ter sido processado por ser responsável por «uma organização paramilitar ilegal que usava táticas de intimidação contra os afro-americanos».

Posteriormente, o homem criou um denominado «Partido Patriota Branco», que o colocou em violação em relação aos termos estabelecidos no processo movido pelo SPLC.

Foi encontrado em 1986, acabando por passar seis meses na prisão. Quando saiu sob fiança Miller mudou-se para uma reserva de armas, no Missouri, explicou o Centro de Direito.

No ano seguinte declarou-se culpado depois de ter sido acusado por ter acesso a armas militares roubadas, assaltos e planeamento de assassinato contra o fundador da SPLC, Morris Dees.

Apesar de ter recebido uma sentença de cinco anos, o homem apenas serviu três. Para isso muito contribuiu ter testemunhado contra líderes de outros clãs.

No domingo, Frazier Glen Miller foi detido e colocado na prisão do condado de Johnson por volta das 20h30, por suspeita de assassinato premeditado e de primeiro grau.

No domingo à noite as autoridades deslocaram-se à residência de Miller para explicar à sua mulher que o homem tinha sido detido.

Em 2010, Frazier Flen Miller concorreu para o cargo de senador, nos EUA, e em 2006, já havia tentado a presidência dos EUA.