O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-Moon, alertou este sábado para se «atuar rápido e firme» na luta contra a mudança climática e defendeu a redução de emissões poluentes.

Na conferência de imprensa da apresentação do Quinto Relatório do Painel Intergovernamental para as Alterações Climáticas (IPCC), após uma semana de negociações entre representantes dos governos para acordar um Sumário para Decisores Políticos, Ban Ki-Moon vincou a necessidade de uma atuação para evitar resultados "destrutivos".

«A ciência pronunciou-se. Não há ambiguidade, os líderes [políticos] devem atuar. O tempo está do nosso lado», disse o sul-coreano, defendendo que se devem limitar as emissões a um «nível razoável».

Ban Ki-Moon sublinhou que existem tecnologia e meios necessários e acentuou que a ação contra a mudança climática, por fenómenos naturais ou ação humana, e o crescimento económico podem reforçarem-se mutuamente, uma vez que são «duas caras da mesma moeda», até porque a inação resultará «mais cara».

O Quinto Relatório de Avaliação será referência central para as negociações na Convenção Marco das Nações Unidas sobre a Mudança Climática (CMNUCC), no próximo ano, para se alcançar um acordo mundial em Paris que substitua o protocolo de Quioto a partir de 2020.

O relatório, a análise mais aprofundada até agora realizada sobre alterações climáticas, concluiu que a mudança climática é inequívoca e notou que são necessárias reduções «substanciais» de emissões nas próximas décadas - entre 40 a 70% entre 2010 e 2050 e redução "quase zero" em 2100.

No que se refere à concentração de dióxido de carbono, o documento indicou concentrações «a níveis sem precedentes em pelo menos 800.000 anos».

Cada uma das três últimas décadas foi mais quente que as anteriores, com uma subida «provável» de 0,85 graus celsius de 1880 a 2012, concluindo-se também que o nível do mar subiu 19 centímetros de 1901 a 2010, nível que poderá fixar-se entre 26 e 82 em finais do século XXI.

O Quinto Relatório, aprovado hoje na capital dinamarquesa, culminou cinco anos de trabalho científico, elaborado por 830 autores, 1.200 outros contributos e 3.700 revisões por especialistas, que resultaram na compilação de mais de 30.000 trabalhos de investigação e de 143.000 comentários.