logotipo tvi24

Nova moda: adolescentes «bebem» álcool através de tampões

Autoridades alemãs estão preocupadas com um fenómeno que a Internet está a ajudar a divulgar

Por: tvi24 / MM    |   2011-04-06 16:20

A polícia da cidade alemã de Tuttlingen está preocupada com um novo fenómeno que alastra entre os jovens da região. É cada vez mais comum os adolescentes impregnarem tampões em álcool e a introduzi-los, assim, na vagina, embebedando-se desta forma. Assim, atingem o estado de embriaguez mais rapidamente e evitam o hálito a álcool quando chegam a casa.

Por isso, de acordo com o jornal «La Vanguardia», as autoridades lançaram uma campanha de alerta na opinião pública. Fontes médicas asseguram que os benefícios que encontram nesta nova maneira de beber vodka não correspondem à verdade. Alertam sobretudo as jovens: o álcool pode danificar os tecidos vaginais.

Mas o método é também usado entre os rapazes, que introduzem o tampão envolvido em álcool no ânus.

No início de Março, uma menina de 14 anos desmaiou durante uma festa. As autoridades diagnosticaram uma forte intoxicação provocada pelo uso de tampões impregnados em álcool.

A moda, como muitas outras deste género, nasceu entre os adolescentes dos Estados Unidos, mas já foi detectada entre os jovens da Escandinávia.

Partilhar
EM BAIXO: Ácool (arquivo)
Ácool (arquivo)

Rebeldes abatem dois caças ucranianos
Informação avançada pelo ministro da Defesa ucraniano
CPLP: Guiné Equatorial anuncia adesão em várias línguas, menos em português
O texto lembra que a Guiné Equatorial é o único país a integrar a CPLP que tem como língua materna o espanhol
CPLP: declaração final refere abolição da pena de morte na Guiné Equatorial
A referência foi introduzida por iniciativa da delegação portuguesa
EM MANCHETE
Guiné Equatorial aceite na CPLP
País entrou por consenso sem que tenha havido uma votação. Teodoro Obiang deve explicar os passos já dados e previstos para cumprir as condições de adesão
Ana Gomes chocada com adesão da Guiné Equatorial
Portugal com défice de 5,1% do PIB até março