Perto de 200 soldados sírios e combatentes 'jihadistas' morreram nas últimas 24 horas, quando o ramo da Al-Qaida no noroeste da Síria conquistou duas bases militares, na província de Idlib, foi hoje anunciado.

De acordo com a organização não-governamental Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH), que dispõe de uma vasta rede de informadores no terreno, pelo menos 120 soldados das forças governamentais de Bashar al-Assad foram feitos prisioneiros pela Frente Al-Nosra, ramo sírio da rede terrorista Al-Qaida.

A conquista das bases militares de Wadi al-Deif e Hamidiyeh, na segunda-feira, dá aos 'jihadistas' controlo sobre grande parte da província do noroeste da Síria, de acordo com a ONG, com sede em Londres.