O voo MS804, da EgyptAir, que se despenhou na quinta-feira no mar Mediterrâneo vitimou 66 pessoas: 56 passageiros, sete tripulantes e três seguranças.

As causas do acidente ainda não são conhecidas, mas já foram encontrados alguns destroços na área onde o aparelho terá desaparecido dos radares.

Avião da Egyptair: o que se sabe até agora

A maioria dos passageiros que seguiam a bordo do Airbus A320 eram oriundos do Egito (30) e de França (15). Quando se procuravam sinais do aparelho da EgyptAir, já as autoridades tinham confirmado que também seguia um cidadão português no avião. Os restantes ocupantes eram provenientes do Iraque (2), Reino Unido (1), Bélgica (1), Canadá (1), Argélia (1), Kuwait (1), Arábia Saudita (1), Sudão (1) e Chade (1).

A tripulação e a segurança

Samar Ezz Eddin era comissária de bordo na EgyptAir desde 2014

A tripulação do A320 da EgyptAir era composta por sete pessoas. Mohamed Said Shoukair era o piloto do aparelho que transportava 65 pessoas de Paris para o Cairo, e Mohamed Mamdouh Ahmed Assem era o copiloto. O Ministério da Aviação Civil do Egipto confirmou ainda as identidades dos restantes membros da tripulação: Mervat Zakaria, Samar Ezz Eddin, Atef Lotfi Amin, Haitham Hamid El-Azizy e Yara Hany Tawfik.

A bordo do avião da EgyptAir que se despenhou no Mediterrâneo seguiam também três seguranças. As autoridades do Egipto confirmaram tratar-se de Walid El Dib, Mohamed Hussein Diab e Mahmoud El Sayed Mansour.

MS804: 56 pessoas perderam a vida

Do desastre aéreo ficam as histórias dos que sobreviveram por não terem conseguido embarcar e os nomes dos que não chegaram ao destino, cujas identidades vão sendo conhecidas. As autoridades confirmaram um cidadão britânico a bordo do avião da EgyptAir. Richard Osman tinha 40 anos, tinha casa em Paris e tinha sido pai do segundo filho há pouco mais de duas semanas.

Ahmed Helal, de 40 anos, trabalhava no norte da França e também a sua presença no voo foi confirmada por um porta-voz da empresa para a qual trabalhava. O francês Pascal Hess tinha 51 anos, era fotógrafo e estava a caminho do Cairo onde iria passar férias com amigos no mar Vermelho.

João David e Silva, de 62 anos, vivia e trabalhava em Joanesburgo. A Secretaria de Estado das Comunidades confirmou que o homem responsável da empresa de construção civil Mota-Engil para mercados africanos e tinha quatro filhos.

As autoridades do Kuwait confirmaram Abdulmohsen Al-Muteiri como um dos passageiros do voo MS804 que se despenhou no Mediterrâneo.

Marwa Hamdy tinha nacionalidade canadiana e vivia no Cairo. A mulher deixa três filhos menores.

"Não há nenhuma indicação das causas" do acidente

O chefe da diplomacia francesa, Jean-Marc Ayrault, afirmou esta sexta-feira que “não há absolutamente nenhuma indicação sobre as causas” do desaparecimento do avião da EgyptAir, que se despenhou esta quinta-feira no Mar Mediterrâneo.

“Todas as hipóteses são examinadas, mas nenhuma é privilegiada porque não temos absolutamente nenhuma indicação das causas”, declarou M. Ayrault ao canal de televisão France 2.

O ministro dos Negócios Estrangeiros acrescentou que no sábado vai reunir-se com as famílias dos passageiros e os representantes de Estado “para prestar o máximo de informações com toda a transparência”.