O copiloto e o comandante de um voo da Air India desentenderam-se quando estavam já dentro do cockpit, este domingo, pouco antes da descolagem do voo AI 611 que partia em direção a Deli. Várias fontes da companhia aérea relatam que o copiloto terá mesmo agredido o comandante, mas o porta-voz da empresa confirma apenas que «existiu uma discussão» e «nada mais».

O incidente ocorreu em Jaipur a bordo de um Airbus A320 e segundo escreve o «The Times of India», o comandante «disse ao copiloto para apontar dados fundamentais do voo, isto implica números de passageiros, peso na descolagem e combustível, num pequeno cartão que é colocado na frente dos pilotos durante toda a duração do voo. O copiloto terá ficado ofendido e agrediu o comandante», disse uma fonte ao jornal.

Numa altura em que as condições de voo dos pilotos estão na mira da opinião pública, depois do acidente da Germanwings, em que o copiloto despenhou o avião contra as montanhas dos Alpes franceses, a discussão acesa e o clima de tensão entre os dois pilotos saltou rapidamente para a imprensa, apesar do comandante ter decidido continuar com o voo.
 
«No interesse da companhia», o comandante decidiu continuar com o voo para Delhi. O procedimento normal seria de que o incidente fosse reportado, no entanto, isto faria com que o voo fosse cancelado e os passageiros afetados. «Os dois tiveram uma discussão. Eles resolveram a questão», especificou o porta-voz da companhia aérea.

Esta já não será a primeira vez que o copiloto em questão é acusado de ter reações intempestivas. Segundo alguns pilotos seniores, «há três anos, disse ao comandante do voo para sair do cockpit, retirar as estrelas do colarinho (insígnias) e lutar com ele. Um ano depois, outro comandante queixou-se do comportamento rude e impróprio do copiloto, questionando mesmo o seu estado mental», disse um piloto sénior.
 
«Air India e a DGCA (Direção Geral de Aviação Civil) devem examinar este último problema no cokpit. Se as queixas sobre o copiloto se confirmarem, é do interesse da aviação que a segurança aérea atue», disse um outro piloto. No entanto, nenhum, responsável comentou o caso.