O ministro dos Negócios Estrangeiros e Cooperação da Guiné Equatorial, Agapito Mba Mokuy, garantiu hoje durante um encontro da CPLP em Nova Iorque que a eliminação da pena de morte no país está iminente.

"O Sr. Ministro informou que foi dado um decisivo passo com a aprovação da medida pelo senado, que se segue à decisão já tomada pelo Governo e pela câmara baixa, e afirmou que a eliminação da pena de morte está iminente", adiantou, em declarações à agência Lusa, o ministro dos Negócios Estrangeiros português, Augusto Santos Silva.

No encontro da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP), que aconteceu à margem da Assembleia Geral da ONU, o representante guineense explicou ainda que o país caminha para cumprir os requisitos impostos aquando da sua entrada na organização em 2014.

Agapito Mba Mokuy pediu, também, o apoio dos Estados-membros da ONU à candidatura do seu país a um lugar no Conselho de Segurança em 2018-2019.

No seu discurso perante a Assembleia Geral das Nações Unidas, a decorrer em Nova Iorque, o governante recordou que desde a independência, em 1968, "a Guiné Equatorial nunca teve o privilégio de ser membro do Conselho de Segurança".

"A Guiné Equatorial pede o apoio de todos os países membros das Nações Unidas à sua candidatura. O governo da Guiné Equatorial promete estar à altura, em prol de um mundo mais justo, mais humanitário e mais pacífico", afirmou o governante.