Um homem negro identificado como Larnie Thomas foi detido por um agente da polícia de Edina, Estado de Minnesota, nos Estados Unidos, por andar alegadamente no meio de uma estrada suburbana, sem respeitar o sinal de trânsito. O que é colocado em questão é a atitude do polícia, de raça branca, que segundo algumas entidades e a autora do vídeo, foi “desnecessária” e “humilhante”.

De acordo com o Huffington Post,, o homem teve que fazer parte do percurso pela linha branca da rua, ao passar por um prédio em construção que ocupava toda a calçada. Um polícia, então, segurou-o pelas costas para não o deixar fugir.

O mesmo jornal refere que o momento foi filmado por uma mulher que assistiu ao incidente, tornando-se viral após ser divulgado na Internet. O vídeo já foi visualizado mais do que 170.000 vezes.

No vídeo pode-se observar o agente Tim Olson, da Polícia de Edina, a arrastar Larnie Thomas para a viatura policial, onde outro polícia deteve o suspeito por alegadamente cometer uma infração.

“Estás a andar no meio da estrada”, diz Tim Olson no vídeo.

Em resposta, Larnie Thomas afirma:” Eu estou na linha branca!”

Depois do polícia se aproximar e colocar as mãos sobre o Thomas, este exclamou: “Você não pode colocar simplesmente as mãos em cima de mim” e pediu ao polícia que o largasse.

Nas imagens gravadas, consegue-se ouvir Janet Rowles, autora do vídeo amador, perguntar ao polícia o porque razão está a deter o homem, em vez de apenas lhe mostrar por onde caminhar sem que esteja a cometer uma infração.

“Não havia absolutamente nenhuma razão para que o agente o impedisse de andar ali, eu passei facilmente com o meu veículo. Ele estava a andar do lado direito do passeio, em cima da linha branca”, disse Janet Rowles.

O vídeo de quatro minutos tornou-se viral e causou o descontentamento de muitos cidadãos e outras entidades .

“Ao assistir ao vídeo consegue-se ver um homem negro a ser maltratado pela Polícia de Edina. Não é apenas doloroso e humilhante, mas é também uma lembrança viva de que os negros ainda são vistos como cidadãos de segunda classe no Estado de Minnesota e nesta nação”, declarou a Associação Nacional para o Avanço das Pessoas de Cor de Minnesota, que pediu que o polícia seja suspenso e sem vencimento, e ainda que apresente um pedido de desculpas a Larnie Thomas.

Larnie Thomas foi intimado por conduta desordeira e incapacidade de obedecer ao sinal de trânsito. De acordo com Huffington Post, o homem foi detido e 45 minutos depois estava em liberdade.

Após a repercussão, a Câmara Municipal de Edina pronunciou-se sobre o caso e confirmou que a calçada estava bloqueada por causa das obras.

"O polícia dirigiu-se até o homem e apitou-lhe na tentativa de o avisar que ali era um sítio perigoso. O homem, que estava com auscultadores, olhou para o polícia e, mesmo assim, continuou a andar pela rua. O polícia, então, seguiu-o de carro, repetindo-lhe para sair da rua. Mesmo assim, ele continuou a caminhar", diz o comunicado via Facebook oficial.

Na segunda-feira, a autarquia emitiu um novo comunicado: "Thomas não foi levado para a cadeia. Foi conduzido a um shopping local, a seu pedido e libertado. O polícia seguiu o protocolo, no entanto, dadas as circunstâncias, a cidade irá rever esse procedimento e determinar como abordar este tipo de incidente com maior sensibilidade no futuro".