Oito dos nove mineiros que ficaram retidos dois dias numa mina de ouro sul-africana depois de um abalo sísmico, seguido de incêndio, foram encontrados mortos, revelou a União Nacional de Mineiros do país. Prosseguem as buscas para encontrar um trabalhador ainda desaparecido.

O acidente aconteceu na mina de Doornkop, a oeste de Joanesburgo. Antes, segundo a BBC, já tinham sido retirados, sãos e salvos, oito mineiros que se refugiaram num compartimento de segurança da mina.

As causas do incêndio, que deflagrou a mais de mil metros de profundidade, ainda são desconhecidas.

Susan Shabangu, ministra dos Recursos Minerais da África do Sul, «lamenta» a situação e lembra, através de um comunicado, que é precisos «apurar as causas do incidente para prevenir ocorrências futuras».

Eric Gcilitshana, da União Nacional de Mineiros, avançou aos jornais locais que os corpos foram descobertos quarta-feira à noite.

O fumo que ainda se encontra no interior da mina e as rochas de se desprenderam estão a dificultar o trabalho das equipas de emergência.

Este é o acidente mais grave, desde julho de 2009, quando nove mineiros perderam a vida, num deslizamento de terras numa mina de platina.

Atualizado às 10:29